FALTA DE SORTE! Os Motoqueiros MAIS Azarados do Mundo.

Para os amantes das peripécias motorizadas, reunimos uma lista de várias situações de debate em que a moto, no final, saiu perdendo. Existe uma diferença entre motociclistas e motoqueiros. A lista aqui é composta de motoqueiros!

Dizem que a bicicleta é um veículo onde o animal que puxa vai sentado. Bem, a motocicleta não está muito longe disso. A diferença é que o animal que vai sentado na moto não consegue controlar os comandos propulsores.

https://www.youtube.com/watch?v=i7w3NBpYugo

O desenho de uma moto é algo bem simples, duas rodas, um guidão que serve de volante, um pedal de cada lado e um motor para propulsão. Não é um desenho a toda prova. É um veiculo desenhado para cair, sempre! Por isso é necessário que o condutor saiba algumas regras básicas de física.

Isso que chamamos de equilíbrio é uma prática constante no lombo de uma motocicleta. Um titubeio e o condutor se racha no chão! Só para constar também, não existe nenhuma proteção, a não ser um capacete frágil, entre o homem em alta velocidade e o chão estacionário.

O entrevero da velocidade é o complicador constante na vida do motoqueiro. Uma fórmula que simplifica muito o fim da vida física dos corpos que adotaram a velocidade nas motos como um meio de locomoção.  Quando caem, é fatal!

Apesar de todo o perigo e considerando o cuidado necessário para sua condução, existe uma espécie de código para a direção de motocicleta de maneira menos perigosa.

Em alguns países do mundo este mesmo código tem salvado vidas. Por exemplo, a legislação de algumas nações determinou que a motocicleta, quando em ação na rodovia, deve ocupar o mesmo espaço físico de um automóvel.

Ou seja, um carro que ocupa o espaço e precisa de distâncias na frente e atrás para sua segurança é uma referência para a condução de motocicletas em outros países. Isso quer dizer que uma moto deve seguir as mesmas diretrizes.

Portanto, nada de passar entre carros, nada de andar em cima da faixa, ao lado dos carros e mais rápido que os carros se desenvolvem. Nada de ultrapassar pelo lado direito, nada disso, nada daquilo! Isso seria segurança!

Mas, os condutores de motocicletas não estão interessados nisso. Que graça tem, não somos carros! Eles dizem.

Pois é, então, já que querem existir no mundo dos carros, sem ser considerados como tal, acabam sofrendo as fatalidades do transito implacável que não discrimina.

Leave a Reply